Seguidores

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

SONETO DE NATAL


SONETO DE NATAL


É Natal e uma claridade intensa
paira por cima de uma noite mansa
e num instante volta a minha crença
e por momentos volto a ser criança...

Noite de Natal... e a árvore enfeitada
bolinhas coloridas, anjos e fitinhas
guloseimas e uma noite encantada
presentes para as crianças boazinhas.

Quanta tristeza para algumas delas
que acreditando que o Papai Noel existe
sonham... e nada recebem nesta noite linda...

Que descrença... que amargura singela
para a criança que em seu cantinho triste
espera pelo presente que não veio ainda!


Doroni

3 comentários:

Rudny_ disse...

Passei por isso quando era criança... às vezes nem era tão ruim. Eu colocava um papelzinho bem amassado no sapato, colocava-o na janela e fingia que estava dormindo. Aí eu via minha mãe pegar o papel, fazer uma cara de tristeza, e depois reconstituía o sorrisão e me acordava. Nunca ganhei o que eu pedia... mas tanto faz, tudo que eu recebi foi de coração e de bom grado. Acho que é esse o espírito do Natal. Presentear com a intenção de agradar. Assim como os reis magos... :)
Legal seu blog!
Voltarei sempre...
Beijão
Feliz Natal!

compulsão diária disse...

Natal pode ser fatal.
Os contos e os poemas vieram para acarinhar melancolias, fazer companhia.
Nada nunca é perfeitamente doce, feliz e toda criança está aquém dessa completude.
A infância nem sempre - talvez nunca - seja o tempo dourado.
Beleza de soneto, poetisa.
gostei muito destas estrelas

Nina Araujo disse...

Eu adorei estar aqui neste cantinho estrelado que vou passar sempre, e mais ainda ter sorvido estes versos tão sensíveis sobre o Natal e a criança.Tomara todas recebessem ao menos o abraço apertado de seu anjo, já que não podem ter o brinquedo!
Beijos e Boas Festas!
Volto...