Seguidores

quinta-feira, 24 de março de 2011

Magoas

















Mágoas


E de repente...
Da palavra queimando
Fez-se um drama.
Do silêncio mais profundo
Fez -se o pranto
Da distância mais sentida
Fez-se um fardo
E do tempo tão perverso
Fez-se o culto!


Doroni Hilgenberg

7 comentários:

Jefhcardoso disse...

Doroni, a mágoa é algo tão triste. Todos os dias eu tento aprender a perdoar. Acho que todos os dias eu preciso ser perdoado também. Parabéns por seu lindo texto, ele ecoa para dentro da gente.
Eu acho que quem escreve é parecido com quem cozinha e quer que experimentem os seus pratos, repitam e provem outros. [sorrio]
Fiquei feliz em ver que leu alguns de meus textos. Considere que escrevi justamente para ser lido, e isso foi muito gratificante. Você é uma generosa leitora. A você eu revelo que meu conto das águas já possui outro capítulo que está guardado, bem como o de Portinari.

Zacarias Martins disse...

parabéns pelo belo blog e pela qualidade das poesias apresentadas.

/juniormoreira disse...

Amo as cosias que você escreve, e muito obrigado por visitar sempre que pode meu blog. Gostaria de saber se posso postar algo seu lá! Beijos

Doroni Hilgenberg disse...

Oi Junior. Fico feliz por você gostar do que escrevo. E mais feliz ainda por saber que um
universitário quer colocar meus
textos em seu blog. Esteja a vontade.
Ah...eu já tive um poema selecionado para ilustrar um texto de ciencias para a 8*
serie. Já pensou? milhões de estudantes lendo minhas "Estações do Ano". Fiquei eufórica.

bjs

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Doroni! Passando para agradecer a visita, o comentário, e dizer que adorei o poema, pequeno na estrutura, porém, gigante na profundidade.

Beijos e ótima noite pra ti e para os teus.

Furtado.

José María Souza Costa disse...

O meu blogue tornou-se mais elegante, e eu enobrecido depois do seu comentário. volte sempre lá. Um abraço do tamanho, da sua elegancia.

Lilazdavioleta disse...

Doroni ,

vim agradecer a sua visita e palavras .

Agora falemos de mágoas .
Tento , diariamente , não me deixar possuir por elas . E também não as provocar .
Até porque como diz no seu belo poema pode tornar - se um culto . E cultos prendem .

Um beijo