Seguidores

terça-feira, 22 de junho de 2010

DESABAFO



DESABAFO

Porque ficarmos juntos
Se não somos felizes?
Se a alma carrega
O peso das mágoas
Se a tristeza afasta
Os sonhos mais belos
E se nosso coração
Não consegue sorrir

Porque ficarmos juntos
Se não somos felizes?
Se não avistamos
A mesma paisagem
Se não enxergamos
Uma luz no horizonte
E se o amor que era tanto
Também se acabou

Porque ficarmos juntos
Se não somos felizes?
Se acabou a ternura
Dos tempos de outrora
Se o afeto que cura
Já não tem sua vez
E a chama que é vida
Também se apagou


Porque ficarmos juntos
Se não somos felizes?
Se as noites são longas
E as madrugadas vazias
Se não existe o conforto
De um abraço que salva
Só palavras que saltam
Para nos agredir.



Doroni Hilgenberg
Sobre a obra

Este poema foi feito em fevereiro de 2.003, mas está inédito ainda. Eu o fiz num momento em que meu coração sangrava por não encontrar mais alternativas para um casamento que já estava chegando ao fim.

21 comentários:

Graça Pereira disse...

Sem exageros nem suspiros supérfulos quando não dá....fecha-se o capítulo porque há mais vida para viver.
Uma folha limpa, aberta como nos livros...para escrever a fogo o sabor dos novos dias.
Beijo amigo
Graça

Pedro Luso disse...

Doroni,

A psicanálise freudiana tem resposta para essa resistencia em romper com um relacionamento sem os atrativos que levam as pessoas a unirem-se: auto-punição por sentir-se fracassada (quem não tem esse sentimento, levanta a cabeça e sai em busca de valores que preencham a vida).

Por outro prisma, a sociologia pode, também, dar esta resposta: para as mulheres que já passaram dos 40 anos (ainda jovens), sofrem com o preconceito que atingiram em cheio suas mães, que se sentiam envergonhadas por estarem desquitadas (para elas, da geração de sua mãe, melhor seria a viuvez à separação - essa mulher é desquitada, diziam com ar malicioso, como se fossem obrigadas a manter um casamento em frangalhos).

Os preconceitos levam gerações para deixarem de existir, infelizmente - tenho convivido com isso, desde que atuo na área do Direito de Família.

Abraços,
Pedro.

IVANCEZAR disse...

É lástima que preciosos fragmenos de vida ficam presos no "sufoco" de relações falidas. Creio que esse mal se repete e ainda se repetirá por muito, muito tempo ... É provável que um dia a espécie humana chegue a um estágio mais evoluido. Belo post !

Antonio disse...

Grande poetisa :
Teu poema é muito bonito e trsnsparente. Concordo com o disse Pedro Luso: ás vezes a gente se sente culpado por uma situação que não podemos controlar.
Linkei teu blog no meu blog Versos Livres..
Luz e fé !!

Bill Falcão disse...

Pode ter sido escrito em 2003, Doroni, mas é daqueles poemas que nunca perdem a atualidade.
Bjoo!!

Ailuj disse...

É,amiga
a pior solidão e a solidão a dois
mas as vezes ficamos juntos por comodismo e por medo dela qdo ja a temos sem querer enxergar
********
Adorando seu blog e obrigada por visitar o meu que é bem simples por opçao minha,não curtia blog mas acabei aderindo depois de tantos convites porem optei só por poesias e simplicidade,para facil acesso
Beijos

gorettiguerreira disse...

Nota-se que seu estado no momento era tal qual a dor e a consciência que enalteceram esse lindo poema amiga.
A tristeza é meesmo a coisa mais verdadeira na vida Doroni. Nos faz desabafar com lágrimas um versejar belíssimo.
Saudades de você por aqui.
Quanto ao poema oração parece que me sinto bem escrevendo esse falar, e por ser na verdade um pedido constante de Deus em nossas vidas
Beijos de luz.
Goretti.

Angélica T. Almstadter disse...

Profundamente sentido e dolorido, e eu acredito que através das poesias quem vive tal situação acaba superando as dores pq consegue esvaziar-se deixando esgotar as energias na forma intuitiva da arte.
Eu passei por momentos assim, acredite, e não me separei, mas hoje minha vida está maravilhosa pq ambos aprendemos a superar a crise. No nosso caso ainda há amor, talvez seja por isso que conseguimos superar. Beijo e obrigada pela visita >^:^<

Fabrício Santiago disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através Zambeziana. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/

J Araújo disse...

Preciosa poesia.

valeu!!

Otelice Soares disse...

Olá, Doroni!
Parabéns! Que bom que tenha resolvido postar o poema.Podemos constatar a sua sensibilidade, mais uma vez.
Bjs no coração.

Zeus disse...

Depois de dias sem postar ou poder visitar meus amigos virtuais,vim te deixar meu carinho e este pensamento cara amiga:
"Futuro.
Esse período de tempo no qual os nossos negócios prosperam, os nossos amigos são verdadeiros e a nossa felicidade está garantida."
Bjkas no coração e felicidades!!

Tais Luso disse...

Quando se perde o encanto, a vontade de se estar junto; quando já é inexistente o companheirismo e se instala o desinteresse... é difícil reverter tal situação. A frustração e a mágoa aparecem para colocar, talvez, o ponto que falta.
Felizes aqueles que conseguem reverter tal situação.
Um poema triste, mas quem diz que na tristeza não há beleza? Coisas de poetas... Sabem colocar emoção nas coisas mais tristes; e não tem coisa mais tocante do que a emoção.

Beijos
Tais luso

Otelice Soares disse...

Doroni, ganhei um selinho e quero repassá-lo para voê.Passe lá no meu blog para pegá-lo.
Bjs.

gorettiguerreira disse...

Minha querida Doroni!
Como é bom passar por aqui e ler seus textos emocionantes amiga.
Um beijo de carinho.
Goretti

Jairo Cerqueira disse...

Doroni, que bom quando alguém consegue amadurecer a ponto de perceber que em determinado momento a razão deve ser suprema para que outras emoções possam vir.
Parabéns, pelo texto e pela atitude.
Bjs.

Graça Pereira disse...

Fui ler a entrevista que me indicaste e gostei! Obrigada pela dica.
Beijo e bom fds
Graça

Dionne disse...

Olá Doroni... obrigada pela visita e pelo comentário... ah, e este poema é muito verdadeiro... as vezes penso estar passando por essa situação, mas ainda tenho fé que tudo pode voltar ao que era antes!!! Um grande abraço! E espero que tudo esteja melhor para vc!!!

Clarice disse...

O mais triste é que as vezes ficamos insistindo numa relação falida, com medo do novo, do desconhecido, das críticas, de um vazio maior. Acredito que amor pode e deve ser cultivado ao longo dos anos, mas se um dos dois deixou de regar, não tem mais jeito. E então a pergunta se faz: Por que ficarmos juntos se não somos felizes?
Você conseguiu expressar muito bem as emoções de alguém que vê ruir os sonhos de um felizes para sempre. Emocionou-me. Muito bom!
Beijo!

Denise disse...

é que a gente prende-se a este tênue fio que teima em pairar sobre nossos olhos, mais feitos de ilusão que de matéria.

Paulo Francisco disse...

Estou passeando em seu blog e, a cada leitura, uma surpresa. Parabéns pelo texto. A catarse poética é melhor que psicanálise. Um abraço de seu mais novo(aqui) leitor.